Edição 52 – É para isto que servem os dados.

Caro leitor, 

Desde a última semana pudemos ver as escolhas acertadas da área de tecnologia e posso respirar aliviado mais uma vez, pois eu havia vendido alguns negócios “tradicionais” para aumentar a alocação em techs, ufa.

Você sabe quais são os setores mais impactados pela crise? 

Separei isto para escrever para vocês no nosso próximo encontro semanal – que chegou – pois, imagino que isto chamará tanto a sua atenção, como a minha.

O pior débito é o débito das empresas, cuja, necessidade de capital empregado em suas operações é demasiado, como exemplo, podemos citar o setor industrial. Estas companhias necessitam de massivas somas mensais de dinheiro em caixa para a sua operacionalização, e quando estão desapropriadas de caixa podem amargar extensos débitos, certo, é a dificuldade para levantar novas somas pois estas empresas podem já estarem endividadas, o que torna o acesso ao novo crédito uma missão quase-impossível.

Portanto, vamos pela via negativa, o que nos resta a não ser pensar sobre os setores menos impactados pela crise?

Contudo, as empresas menos impactadas são as empresas capitalizadas, ou seja, empresas que dispões de excesso de caixa, como exemplo, podemos citar o setor de tecnologia, que você pode acompanhar novamente, caso tenha perdido a nossa edição 51.

Até agora o ano foi do ouro, techs, bitcoins e valorização do dólar frente ao real e o histórico mostra que a sorte esteve por aqui, por isto os nossos comentários são ficam arquivados, então você pode entender a lógica por trás deste emaranhado de palavras sem finances, a ideia é explicar como os mercados funcionam não é mesmo? 

Qual curso do iInvestors fez mais sentido para você até agora?

P.S.: Para que servem os dados se não nos atermos a eles?

In data we trust.

Abraço

Marcelo