Estimado assinante, Após a abrupta ascensão dos ativos nos meses anteriores, motivado pelo retorno gradual da economia nas últimas semanas tivemos um retorno nos parâmetros de preços, o que foi positivo, afinal de contas, em ações é caindo que se sobe. Se por um lado temos endividamento privado recorde nos Estados Unidos, preocupações fiscais  pelo...

Você precisa ser um usuário! O conteúdo é exclusivo para membros. Escolha o seu plano para continuar.
Entrar Assine agora

Gramado, RS.

Estimado leitor,

Em Gramado o movimento voltou, os hotéis estão com ocupação permitida de 50%. Os hóspedes declaram suas condições de saúde e convívio recente e o sistema de agendamento do café da manhã, almoço e jantar nos hotéis funciona bem.

A neblina característica também voltou, que alegria aquela foto da Avenida das Hortênsias pela manhã – gravo na memória dias como este.

…Uma manhã fria e uma neblina fina, mas que impedia a visibilidade a cerca de 30 metros. Roupas de frio, tocas e luvas nas vitrines, chá, os jardins, o cheiro de mato. O charme europeu em meio a serra gaúcha. Como gosto de Gramado…

Com paciência tudo passa e as coisas encontram o seu caminho. De uma forma ou de outra já estamos acostumados ao novo normal, de diversas formas:

  • Tudo bem faltar algo no mercado.
  • Aulas online são melhores do que aulas presencias.
  • Reuniões virtuais são necessárias.
  • Novos hábitos são difíceis de serem criados.
  • A renda fixa não rende mais.
  • Os patrimonialistas não recebem mais os aluguéis que estavam acostumados.
  • O dólar não baixa de R$5.
  • Comemoraremos o nosso primeiro Natal em família com máscara (sem máscaras).

A lista cresce… o turismo cresce, a bolsa também.

Até quando?

Ainda me pergunto por que não máscaras venezianas? a beleza renascentista em pleno século XXI. O passado manda lembranças… as ameaças de guerras, a luta na rua, os conflitos, o desentendimento religioso, as ameaças no senado, as condições sanitárias precárias… e a beleza inefável dos castelos, da música erudita e da dialética.

Vivemos o mesmo mundo? Não…desconte a beleza inefável dos castelos, da música erudita e da retórica.

Dias de luta, dias de glória.

Esperarei sentado pela próxima crise – at the edge of the chair – ela virá. Enquanto isto o leitor esquece a poupança, esquece a renda fixa e volta o seu dinheiro para a renda variável e para o retorno da economia real.

As ações de tecnologia explodiram, o setor de turismo e aviação serão os próximos… os shoppings centers estão sendo apresentados ao novo normal.

Aliás, O COVID também é reapresentado aos contaminados, ou mal diagnosticados, uma nova onda? ou, ou, ou, ou…

Dá-se início a nova onda de IPOs na bolsa, todo mundo quer o seu dinheiro, da Petz (que chegou a bater mais de 10% no primeiro pregão) à Havan… esquecemos tudo, vamos viver, cuidem-se.

Ó vida, a neblina continua, enxergo apenas 30 metros à frente, melhor continuar.

Mais por vir,

Abraço.

Continue acompanhando.

As bolsas continuam traçando uma recuperação em V. Desde o início do COVID passamos por uma das maiores baixas da história e também, o que parece ser, uma das mais rápidas recuperações. Motivados pelos bancos centrais mundiais – e bem retratado aqui – os investidores passaram a se posicionar novamente no mercado financeiro. Marco zero....

Você precisa ser um usuário! O conteúdo é exclusivo para membros. Escolha o seu plano para continuar.
Entrar Assine agora
asperitas dark clouds in gloomy sky

Caro leitor, 

Como você acompanhou nas últimas semanas, continuamos com valorização do Ouro e das Techs, as oportunidades parecem estar nesta área.

Um fenômeno de valorização e cuidado. Mas em que ciclo estamos?

Citando os versos dourados de quem sabe o mais magnífico dentre os que aqui já estiveram, Pitágoras. Seus aforismo foram frequentemente citados na antiguidade, e cabem aos dias de hoje, ”os bens da fortuna são incertos; e que assim como eles podem ser adquiridos, eles podem ser igualmente perdidos”… “apoia teu lote com paciência, é o que pode ser, nunca reclame”.

Vamos longe nesta nova curta vida, tudo é questão de perspectiva, e não quero soar repetitivo ou até prolixo, mas se você é um dos nossos 4 leitores assíduos, então, você já deve até prever o que direi nas próximas linhas… quase um mantra pessoal, segure-se firme, agarre-se a sua capacidade de viver de forma frugal, o amanhã nunca é certo, conquiste-o com saúde, a cada dia. Invista diligentemente, não caia na onda dos eufóricos, in data we trust.

Acredito que poucas coisas precisam ser feitas na vida, entretanto, todas com qualidade.

Para o investidor consciente, prudência é a palavra de ordem, enquanto isto, a digitalização avança e o consumo vem adotando novas tendências. Este é um tempo de mudanças proeminentes no seu estilo de vida, e de mudanças corajosas nos negócios, até do ponto de vista organizacional nas empresas sobreviventes.

Não chegamos nem ao aniversário do COVID-19… sem dúvidas, será uma comemoração nada solene.

Afinal, do que vale a linearidade na planificação dos intentos de uma vida tão longa e incerta como a nossa? Não nos caberia a utilização aplicada de rascunhos?

Veja só, relacionei alguns eventos extraordinários que causaram mortes em massa, tanto de curta quanto de longa duração. As referências vão para este research brilhante de Richard Conniff, para a edição de agosto da revista National Geographic, cuja leitura, realizei recentemente. 

A Plague of Justine ocorreu no império bizantino, registrou, cerca de 50 milhões de mortos entre os anos 541-588.

Já a Antonine Plague ocorreu no império romano de 165-180 onde morreram 5 milhões de pessoas.

A Black Death ocorreu entre os anos 1347 e 1351 e dizimou cerca de 30-40% da população européia, cerca de 50 milhões de mortos na época.

A varíola levou a 8 milhões de mortos no México em apenas, um ano, em 1519. E a Cocoliztli 1 levou a morte de 15 milhões de pessoas em apenas 3 anos.

Uma perspectiva mais ampla…

Poderíamos falar mais nisto, mas presumo que já tenhamos chegado ao mesmo ponto.

Existem epidemias, pandemias e pragas, seus eventos são raros, mas existem e nos mostram como somos insignificantes no meio deste nosso mundão, muita coisa pode ser entendida, poucas podem ser explicadas.

No cenário corporativo, temos Google e Facebook, além de outras empresas no Vale do Silício transferindo o trabalho para home office até julho de 2021, em um primeiro momento.

O que são planos em uma vida longa como a nossa?

Aproveito esta edição para informá-los que já está disponível o curso Aprenda a Investir na Bolsa, você vai aprender a começar a investir, de forma prática e a entender grego, o que te oferecem nas instituições financeiras.

Fique ligado.

Atenciosamente,

Marcelo.

Como a história pode nos auxiliar a alcançar os nossos objetivos financeiros?Bem vindo a publicação da nossa seleção de hoje. Precisamos seguir o caminho dos investimentos, por isto, vamos compartilhar com você a nossa próxima seleção. Aqui está o link [link patrocinado]. Nosso próximo encontro será no mês que vem, por tanto, bons estudos. Fiquem ligados....

Você precisa ser um usuário! O conteúdo é exclusivo para membros. Escolha o seu plano para continuar.
Entrar Assine agora

Nada do que foi será, de novo, do jeito que já foi um dia, tudo passa, tudo sempre passará… Lulu Santos. Nada que fosse possível esperar, estamos em um ano completamente atípico e os ativos de risco continuam com a mesma volatilidade que comentamos no início do ano. Todos os jornais mais relevantes fizeram as...

Você precisa ser um usuário! O conteúdo é exclusivo para membros. Escolha o seu plano para continuar.
Entrar Assine agora

Neste capítulo abordamos os planos necessários para cumprirmos os nossos objetivos e a determinação necessária para alcançarmos os nossos resultados. Mais um excelente estudo deste livro simples e cheio de aprendizados. Descubra como está publicação pode lhe auxiliar a alcançar os seus objetivos. Acompanhe:...

Você precisa ser um usuário! O conteúdo é exclusivo para membros. Escolha o seu plano para continuar.
Entrar Assine agora

As vezes temos que parar para medir a temperatura, verificar a pressão, respirar fundo e seguir em frente.

Winners never quit and quitters never win. Vicente Lombardi

Já quebrei o dedo da mão esquerda, faço parte desta lista e uma parte do meu dedo quase caiu no chão. Ele foi esmagado contra a porta, ainda na infância, mas lhe privarei dos detalhes… eu saí às pressas a procurar dos meus pais que no horário do almoço pegaram o “nosso” Fiat Uno vermelho escuro – uma relíquia familiar que levou tanto tempo para ter o seu documento transferido que nunca mais nos abandonou.

No século XVI não seria tão desagradável como foi. Naquela época os canhotos eram considerados estranhos e se não trocassem de mão para praticar as suas habilidades poderiam ser considerados um zero a esquerda. Um adjetivo qualquer. Os criminosos poderiam ficar sem a mão, mas eu não. O próprio Leonardo, o da Vinci, meu parceiro lefty hand teve suas dificuldades como canhoto. Eu quase perdi o dedo.

No caminho do hospital ninguém pensava em quanto daria a conta, mas fomos para a emergência municipal. Sem problemas, apesar dos gritos e fila, a emergência estava lotada, um sol escaldante – ninguém abandona ninguém – passou logo. Mas foi uma eternidade para a minha cabeça infantil e então fui chamado pelo jovem de branco para a sala de emergências. 

Eu não queria mais aquilo. O jovem costurou, arrancou a unha, seringou – mas eu pude sentir o movimento – Que desgraça! Lembro-me como se fosse hoje.

Só respirei aliviado mas nunca soube da conta. Alguém pagou por ela, talvez o estado. Eu não tinha estado para perguntar, só agradeço aos meus pais pelo senso de urgência e carinho necessário em uma hora dessas. A culpa foi toda minha, e foi assim que na infância aprendi a lidar com a  minha raiva.

Quando a “coisa” acabar estaremos respirando aliviados.
 

Por enquanto é crise atrás de crise, o mundo caindo aos pedaços, empresas endividadas e entrando com pedidos de recuperação e falência. Não é uma exclusividade nossa. Nos EUA acontece o mesmo, apesar de eles terem mais carvão.
 

Quanto mais tempo leva mais quebrados os governos mundiais estarão. Os casos de COVID não param de aumentam – mesmo com o calor. Enfim, não sabemos se o governo conseguirá pagar a conta – que eu acho que não – se ele está tentando evitar a iatrogenia, ou se está jogando a conta para você.

Vida privada, vida fechada, ninguém respira no elevador, ninguém espirra. Tirar a máscara é perigoso. Entrar sem é um crime.

Quando é uma situação de emergência você nem sabe quanto custará, quer mais é fazer a cirurgia e salvar o vivente, depois você vê quanto deu e dá um jeito de pagar. Se não for o governo, será você mesmo com inflação… 

E é isto que os governos estão fazendo, ainda estamos no meio de uma emergência e as doses não tem sido suficientes para estancar a sangria, não estamos nem no meio da cirurgia.
 

Mais do que nunca, você precisará aprender a investir o seu dinheiro e estar aberto a novas oportunidades e o iInvestors está lançando nos próximos dias o seu curso rápido, Aprenda a Investir na Bolsa. Precisamos continuar, respirar fundo, seguir em frente. Vencedores nunca desistem, encontram novas oportunidades.
 

Abraço
 

Marcelo.

Caro investidor, Chegamos ao nosso terceiro encontro do livro deste mês. Nos capítulos de hoje estudamos a proteção patrimonial adequada e a determinação necessária para alcançar a boa fortuna nos seus investimentos. Deixo aqui o estudo desta semana, desejando-lhe uma ótima semana. Abraço Marcelo...

Você precisa ser um usuário! O conteúdo é exclusivo para membros. Escolha o seu plano para continuar.
Entrar Assine agora

Caro leitor,  Desde a última semana pudemos ver as escolhas acertadas da área de tecnologia e posso respirar aliviado mais uma vez, pois eu havia vendido alguns negócios “tradicionais” para aumentar a alocação em techs, ufa. Você sabe quais são os setores mais impactados pela crise?  Separei isto para escrever para vocês no nosso próximo...

Você precisa ser um usuário! O conteúdo é exclusivo para membros. Escolha o seu plano para continuar.
Entrar Assine agora

Disclosure:

A KPI não gera relatórios de análise próprios, nem presta serviços de orientação, recomendação e aconselhamento, de forma profissional, independente e individualizada, sobre investimentos no mercado financeiro, cuja adoção e implementação são de responsabilidade exclusiva do Usuário. O Conteúdo é meramente informativo, não consistindo em recomendações financeiras, legais, fiscais, contábeis ou de qualquer natureza, motivo pelo qual a KPI não se responsabiliza por decisões tomadas com base em informações, cujo conhecimento tenha sido tomado, direta ou indiretamente, através da Plataforma.

Por meio deste Termo, o Usuário reconhece que a KPI não é fornecedora de bens, não presta serviços de analista ou consultoria de valores mobiliários, macroeconomia, política, de setores específicos da economia ou de relação com investidores.

A KPI é respectivamente proprietária ou licenciada do Conteúdo, bem como é respectivamente titular ou licenciada de todos os direitos relacionados à Plataforma. A Plataforma, o Conteúdo e as demais propriedades da KPI são protegidos pela legislação de direitos autorais e outros direitos de propriedade intelectual. Neste sentido, e conforme descrito acima, o Usuário não poderá reproduzir, copiar, utilizar, executar, criar trabalhos derivados, republicar, fazer upload, editar, enviar, transmitir ou distribuir, por qualquer meio que seja, quaisquer partes da Plataforma, Conteúdo, marcas, materiais, entre outros, de titularidade da KPI, sem a autorização prévia por escrito desta.

O Conteúdo é protegido pela legislação brasileira, em especial, pela Lei de Direitos Autorais (Lei Federal 9.610/98) e Lei de Propriedade Industrial (Lei Federal 9.279/96).

Se o Usuário não concordar com algum dos termos e regras aqui previstos, não deverá utilizar a Plataforma tampouco aceitar a presente Política.

Como associado da Amazon, a KPI recebe por compras qualificadas.

Fique atento: Não possuímos perfis em redes sociais, todos os nossos pagamentos são eletrônicos. Não entraremos em contato com você por Telefone, SMS, WhatsApp, Telegram ou similar.