As melhores chances

Balneário Camboriu, SC.

Caro leitor,

“Deveríamos ter duas vidas, uma para ensaiar e uma para viver” Vittorio Gassman.

O risco deriva do italiano risicare, “to dare”, ousar, desafiar ou como definiu Peter L. Bernstein, o risco é mais uma questão de escolha do que de destino.

Neste mês chegamos aos 60 mil acessos na plataforma, e com isto fechamos o nosso período de testes na fase 3, agradeço imensamente a você que acompanhou o projeto do início, com todas as suas modificações, alterações, layouts, falhas e etc…

O legítimo empreendedorismo que tantos temem ocorrendo na prática, em frente aos seus olhos, para aqueles que já buscam aprender e quem sabe se inspirar – agora estamos com as novas adesões restritas, e somente os cursos estão disponíveis. Aliás, eu já revi algumas vezes a aula desta semana, gosto de rever e aprender com as histórias de outras pessoas, espero que você também…

O que estamos aqui para fazer se não sermos felizes, crescer, melhorar, aprender, respirar, amar?

Nestes últimos 6 meses direcionei uma boa parte do meu tempo – que vale mais do que dinheiro, pois é vida, e vida não se compra – a um projeto maluco, ousado, instigante e completamente independente.

Uma força interna, uma vontade de contribuir, de ensinar, que absorvi de algum lugar nestes últimos 15 anos da África à Rússia, China, Emirados Árabes e Mato Castelhano.

Onde você coloca a sua força? a sua energia? o que constrói? o que tem medo? o que faz com a centelha divina?

Bem, este não é mais um daqueles textos onde trago ideias de negócios, economia ou finanças,  mas continuo lhe dizendo como às coisas realmente funcionam, sem deixar pedra sobre pedra.

Está é a parte mais importante, é a parte de estilo de vida, o momento seize the moment, e o momento de agradecer.

Ao longo dos últimos anos tenho me dedicado a desenvolver novas habilidades, você dá tempo ao tempo, direciona energia e as coisas acontecem… ainda estamos tentando descobrir o que há de tão magnífico neste imenso espaço que habitamos por um tempo.

Agradeço a Pascal, Fermat e tantos outros matemáticos, desde o conhecimento Hindu-Arábico à aritmética, lógica, estatística e as pretensões do estudo do risco, sua mensuração e impactos, estudo das probabilidades, tão úteis que vivem até os dias de hoje.

Tenho a sensação que tudo fica mais fácil de entender pelo ponto de vista da unidade, frugalidade e da via negativa.

O que há em excesso na sua vida? o que você é grato? o que é que há que você deseja conquistar? Que riscos você escolhe correr?

Siga em frente, como diria Mozart: “Ninguém deve-se sentir ordinário e inferior – esse é um ponto crucial – ou então você pode se considerar derrotado. Aqueles que são mais impertinentes são aqueles que tem as melhores chances.”

Ousados? Impertinentes? São aqueles que tem as melhores chances.

Bem, chegamos ao breve noticiário macro e se você acompanhou a minha newsletter anterior, viu que entramos no período da COVID 2.0 e já aguardaremos a nova versão. Iniciei aquela newsletter falando em prenúncios, e que ocorreram. O importante não é acertar, é tentar e de alguma forma tirar proveito do que se faz, espero que tenha-os auxiliado de alguma forma.

Também comentei sobre o que estava acontecendo no mundo, a leitura continua válida, vá ver, se assim quiser, as minhas expectativas não são tão convencionais…

O dólar já passa de R$ 5,80… no ano passado superamos o mercado e os fundos, neste ano estamos na mesma direção, são inúmeras horas de lapidação, os méritos são dos tomadores de risco, Pascal, Fermat e tantos outros ousados, suas contribuições são inestimáveis.

Um bom final de semana.

Fique ligado…

Marcelo